O Desenvolvimento Organizacional baseia-se no gerenciamento micro, estratégias macro e sistema aberto. Flutuações aleatórias mudam o rumo das coisas. A empresa precisa estar aberta ao seu planejamento de médio e longo prazo, mas não pode desconsiderar tais flutuações.

A cultura organizacional, que é a coordenação das diferentes atividades, determina o clima geral na empresa. A do tipo mecânica foca-se no indivíduo, uma hierarquia rígida e rígida divisão do trabalho. A orgânica preza pela equipe, uma hierarquia flexível, independência e responsabilidades compartilhadas e negociações. Para que haja mudança na organização, é necessário o desenvolvimento de equipe e um projeto de sistema matricial.

Com a mudança, torna-se possível a amplição do cargo, que muda conforme o projeto a ser desenvolvido. O detalhamento dos cargos faz parte do perfil profissiográfico.

O D.O. possui como objetivos aumentar a confiança dos membros da equipe; confrontar posição, pessoal, usar o conflito(como fonte de produção) para o desenvolvimento em organização. Por exemplo: um bom gerente pode tornar um mau conflito em um bom conflito(um conflito produtivo). A autoridade é sustentada pela sua habilidade, seu conhecimento… Com a comunicação lateral(fofocas), a gerência tende a perder controle. O sistema matricial propicia o clareamento da comunicação lateral(diminuindo as fofocas, que são mecanismos neuróticos de angariar afeto, mostrar poder- que não têm – para denegrir a imagem de alguém; aparecem como demonstração do sentimento de inveja, projeção de inferioridade, baixa auto-estima e denuncia uma instituição imatura, fogueira de vaidades).

O D.O. também visa à motivação, satisfação, responsabilidades compartilhadas, à sinergia (proliferação de determinadas atitudes, potencialização de uma ação positiva). A idéia pra montar o D.O. melhora a interação entre os grupos, entre os membros; propicia clareza de sentimentos, uma visão sistêmica entre os indivíduos, equipes e organização.

Dicas de livros:
– « Entre o Cristal e a Fumaça », Henry Atlan
– « Do caos à inteligência artificial », epistemologia da ciência
– « Entre o buraco e o avestruz », Luis Davi Castiel
– « Moléculas, moléstias e metáforas », Luis Davi Castiel
– « A medida do possível – risco, saúde e tecnobiociência na pós-modernidade », Luis Davi Castiel