Às vezes parece que o mundo foge da vista
Dista-se no escurecer, no horizonte…
Parece esmurecer, perdendo aquela vivacidade bem quista
Não reclama do cansaço, nem ao menos franze a fronte

Eu, desperta antes mesmo de poder vê-lo brilhante,
Espero seu clarear anunciante:
– Bom dia, irmãos! Estou com vocês, vamos seguir juntos!

Outra jornada começa…
O dia é o ciccerone
Neste mundo de festa

Hoje já não m’importo com sua partida
Pois sei que voltará
E apenas adianto uma leve despedida:
– Até lá!

~