* Às vezes a mente pede respostas e só o que tenho a replicar é indagar-lhe duplamente. Sem a pretensão de ser atrevida, porém com a curiosidade de quem usa ‘fraldas’ no conhecimento existencial.

. Quantas vezes uma criança cai antes de conquistar a destreza no andar?
. Quantas dores e sofrimentos sofre alguém que um dia considera ter uma vida feliz?
. Quão desagradável e pedante é um papo com um adulto que não conheceu a frustração?
. Como se sente um fracassado quando diz, com a melhor das intenções e vontade de acreditar em seu dito: agora vou vencer, vou subir nem que seja um degrau, ainda que esteja dizendo pela centésima vez, porque agora é diferente, quero realmente! E escuta das pessoas mais próximas e amadas: qualé? conta outra! Você nunca vai mudar, sempre diz e nunca teve resultado, muda o repertório!
. Esses dizeres são familiares a alguém?
. Quem garante que há repetição eternamente?
. Quem garante que a tendência à repetição vence a perseverança?
. Quantas pessoas venceram um objetivo na primeira tentativa?
. Qual o valor da vitória?
. Alguém gosta de perder?

– Teste sua capacidade de reflexão:
. O forte pode ser o mais fraco. Verdade ou mentira?
. O fraco pode ser o mais forte. Verdade ou mentira?
. O forte pode ser o mais fraco. Mentira ou verdade?
. O fraco pode ser o mais forte. Mentira ou verdade?

Que pena o fato de ser tão difícil me compreender… Sinto tanto por isso!
Estou, de certa forma, sozinha. Todavia a vida, a morte, as escolhas são singulares e solitárias. No que se refere à minha particularidade, a responsabilidade é toda minha e é meu direito assumí-la. Também estou ciente de que ninguém é obrigado a simpatizar-se com minha pessoa. Mas jamais abrirei mão de minha diferença e liberdade de opinião.