Singela é a manhã que me chega devagar
A luz crescente penetrando pelas brechas
Atinge-me o olhar num sonolento divagar
Semeia miúdas esperanças em cada aresta

Um dia novo e um velho sonhar
Encontro bizarro que caracteriza o mosaico vital
As peças nuncase encaixam e nem sabem se assemelhar
Porém coexistem no tempo e no espaço natural

Vida – grande enigma da natureza
Dispersa energia e incrível beleza
Quem um dia decifrá-lo poderia?

Some ao infinito o alcance da resposta
Pois sua busca é dolorosa e indisposta
Esse saber conhecido, que bem faria?